O exército israelita lançou, esta noite, ataques aéreos contra posições do exército sírio, horas depois da explosão de uma bomba ter ferido quatro dos seus soldados nos Montes Golã, informou hoje o exército.

Os raides aéreos ocorreram depois de o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, ter advertido que Israel iria agir «vigorosamente» para se defender após os ataques nos Montes Golã.

Fontes militares confirmaram que a força aérea levou a cabo quatro raides cerca das 03:00 (01:00 em Lisboa).

Israel advertiu ainda o regime sírio do Presidente Bashar al-Assad de que vai pagar um «preço elevado» por ajudar grupos militantes empenhados em atacar o Estado judaico.

«Nós vemos o regime de Assad como responsável pelo que está a acontecer sob a sua autoridade e, se continuar a cooperar com os elementos terroristas que pretendem prejudicar Israel, vamos fazê-lo pagar um preço elevado», disse em comunicado o ministro da Defesa de Israel, Moshe Yaalon.

As declarações do ministro foram proferidas algumas horas depois de a força aérea ter bombardeado alvos militares sírios em resposta a um ataque à bomba que feriu quatro soldados israelitas.