Um homem morreu na sequência de um ataque de tubarão no arquipélago de Nova Caledónia, no Oceano Pacífico. A mulher da vítima assistiu ao ataque do animal e à morte do marido. 

Yves Berthelot, de 50 anos, alugou um catamarã para fazer uma viagem com os amigos e com a esposa pelas ilhas de Nova Caledónia. Durante o percurso, decidiu entrar na água e nadar nas "águas cristalinas". Quando se afastou um pouco do barco para praticar snorkelling, foi atacado por um tubarão de 3.5 metros de comprimento. 

O homem, que trabalhava na ilha, estava acompanhado na maioria por profissionais de saúde que saltaram do barco e tentaram reanimá-lo. 

Segundo o jornal local "Les Nouvelles Caledoniennes", a vítima foi mordida duas vezes no braço, na virilha e na perna. 

"Foi um ataque severo e súbito. O primeiro auxílio concedido foi significante, mas os ferimentos eram tais que, infelizmente, não havia muito a fazer", informou um porta-voz das forças militares que resgataram Berthelot. 


A vítima morreu no local, 45 minutos antes dos paramédicos chegarem. 

"Perdi o homem da minha vida esta noite", escreveu a mulher Anne no Facebook. 


Os especialistas garantem que o ataque foi feito por um tubarão-touro, a espécie responsável por mais ataques a seres humanos.

Nova Caldónia é um território ultramarino francês localizado no nordeste da Austrália, conhecido pelas bonitas praias, águas cristalinas e por ter a maior lagoa do mundo.