São estas as primeiras fotografias daqueles que se pensa serem dois dos três bombistas suicidas do aeroporto de Ataturk, em Istambul, que tem condições especiais de segurança e controlo, que não foram capazes de impedir os atentados.

As fotografias, publicadas pela imprensa turca, já correm mundo e podem ser vitais para identificar os bombistas suicidas. O governo turco garante mesmo que os bombistas serão identificados nos próximos dias.

As câmaras de videovigilância captaram um homem, a caminhar calmamente ao lado de um piloto, vestido com calças azuis e um blusão preto, sem bagagem e com o braço numa posição que parece indicar que segura algo por baixo do casaco. 

Uma segunda imagem mostra outro homem, vestido de preto, no interior do aeroporto, de arma em punho a disparar.

Na terça-feira, três bombistas suicidas entraram armados no aeroporto de Ataturk, em Istambul, e, sem qualquer aviso prévio, começaram a disparar. Momentos depois, fizeram-se explodir. Duas das explosões terão acontecido no interior do aeroporto, nomeadamente na zona de check-in e de raio-x, e a terceira no exterior do terminal de embarque. 

Binali Yildirim afirmou que os três bombistas chegaram ao aeroporto de táxi. 

A maioria das vítimas mortais tem nacionalidade turca. Há dez estrangeiros entre os mortos, três com dupla nacionalidade.

As vítimas estrangeiras, são, de acordo com as nacionalidades, cinco sauditas, dois iraquianos, um chinês, um jordano, um tunisino, um uzbeque, um iraniano e um ucraniano.