Pela primeira vez, foi confirmado um ataque de crocodilo a seres humanos, nos Estados Unidos, avança o jornal «Miami Herald».

O incidente aconteceu este domingo, quando duas pessoas nadavam num canal de Coral Glabes, no estado da Florida, por volta das duas da manhã.

As vítimas, Alejandro Jimenez, de 26 anos, e Lisset Rendon, de 23, foram assistidas num hospital da área de Miami, depois de terem sido mordidas por um crocodilo que teria entre dois a três metros de comprimento.

«Eles começaram a nadar e, aparentemente, a um dado ponto, depararam-se com um crocodilo», explicou Jorge Pino, responsável da Comissão para a Conservação de Peixe e Vida Selvagem da Florida.

De acordo com o jornal «Miami Herald», a mulher foi mordida no ombro e o homem nas mãos e no tronco.

«Tiveram muita sorte em conseguir fugir do crocodilo sem problema», declarou Pino.

O casal terá ignorado os avisos que alertam para a existência de dois crocodilos no canal. Os animais vivem ali há mais de uma década e até têm alcunhas, dadas pela população local: Pancho e Snaggletooth.

Agora os responsáveis pela Comissão para a Conservação da Vida Selvagem estão a tentar encurralar os animais para que possam ser transportados para uma zona protegida. No entanto, há quem não concorde com esta medida.

«Aquele era o território deles. Se querem ir nadar às duas da manhã façam-no, mas numa piscina, não no canal», justificou Elizabeth Butin.

Apesar de haver relatos de outros ataques de crocodilos a humanos, nos Estados Unidos, este foi o único que chegou realmente a ser confirmado pelas autoridades.

Os crocodilos norte-americano são tímidos e preferem ambientes noturnos, de acordo com o «National Geographic». Apesar de terem diminuído, em meados do século XX, desde que foram considerados uma espécie protegida, na década de 70, voltaram a aumentar.