O grupo extremista nigeriano, Boko Haram, raptou 37 mulheres e matou outras nove pessoas, no domingo, numa localidade do sudeste do Níger, perto da fronteira com a Nigéria. A informação foi avançada, esta segunda-feira, pelo governador da região de Diffa, Laouali Mahmane Dan Dano.

Os elementos do Boko Haram (…) degolaram nove pessoas (…) Eles levaram mulheres, 37 mulheres”, afirmou o governador, à televisão pública do Níger.

O responsável adiantou ainda que as Forças de Defesa e Segurança já estão a investigar o caso e referiu que se espera “que nos próximos dias as mulheres sejam encontradas e libertadas”.

O governador explicou que “os elementos do Boko Haram vieram a pé”, para entrarem na localidade de Ngalwea mais facilmente, através do lago Chade, e furarem o dispositivo de segurança.

A população de Ngalwea, a norte de Diffa, “sempre se opôs ao Boko Haram e foi por isso que eles vieram atacar cidadãos pacíficos”, afirmou o governador, que, na segunda-feira, se deslocou à localidade atacada.

A região de Diffa, com cerca de 600 mil habitantes, é alvo de ataques do Boko Haram desde 2015. De acordo com a ONU, a região acolhe mais de 300 mil refugiados e deslocados, que vivem no meio da população.