Um professor morreu e quatro pessoas ficaram feridas depois de um aluno, de 13 anos, ter entrado na escola armado com uma besta e um punhal. O ataque aconteceu no Instituto Joan Fuster, no bairro de La Sagrera de Barcelona.

O menor de 13 anos, suspeito dos ataques, foi identificado pela polícia espanhola e colocado sob custódia dentro do centro escolar até cerca das 13:00. Depois foi levado para a unidade psiquiátrica de um hospital de Barcelona. Quando tiver alta, será levado para a Direção-geral de Atenção à Infância e Adolescência do Governo da Catalunha. 

 
O ataque terá ocorrido cerca das 9:20 (hora local). Segundo testemunhas, o menor entrou no centro escolar armado, uma hora depois do início das aulas, e dirigiu-se à sala onde estava a sua turma. Depois de ser repreendido pela professora de castelhano por chegar atrasado, o jovem disparou a besta em direção à cara desta, ferindo-a. Depois, apunhalou a filha da professora, sua colega de turma, numa perna. Ao ouvir os gritos, o docente da sala ao lado, - que se encontrava há duas semanas na escola a substituir uma professora de baixa - tentou impedir o ataque e o agressor disparou a besta contra este. No entanto, o golpe mortal foi desferido com o punhal que o estudante levava consigo.

Segundo a Efe, depois de atacar a sua turma, o suspeito dirigiu-se para outra sala de aula, onde atacou um aluno com uma arma branca. Ao perceberem o que se estava a passar, os outros professores fecharam-se nas salas com os alunos.

O menor acabaria por ser detido por um docente de Educação Física na casa de banho. Consigo tinha uma mochila onde se encontrava material suficiente para fazer um cocktail molotov.
 
Para o Instituto deslocaram-se várias equipas do Sistema de Emergência Médicas que assistiram os feridos, dois alunos e duas professoras, que apresentavam ferimentos leves. Três dos feridos acabaram para ser transportados para o hospital de Sant Pau de Barcelona.

Os alunos presentes na aula onde ocorreu o ataque foram ouvidos como testemunhas. O suspeito está a ser tratado de acordo com os protocolos policiais para pessoas menores de idade que são inimputáveis, de acordo com a Lei do Menor.

Mãe e filha entre os feridos

De acordo com a diretora do Instituto, citada pelo El País, os feridos são duas professoras e dois alunos.
Segundo fonte do hospital à Efe, os feridos transportados para o hospital foram a professora de castelhano, com feridas na cara, a filha, de 13 anos, com feridas superficiais, e um aluno, de 14 anos, que foi ferido no tórax com uma arma branca. Todos se encontram estáveis e a ser atendidos no serviço de urgências do hospital de Sant Pau de Barcelona.

A outra professora que ficou ferida, foi atendida no centro escolar e teve alta, não sendo necessário recorrer ao hospital para tratamento.

Aluno tinha avisado que ia matar os professores todos

Os colegas do menor contaram às autoridades que o jovem afirmou, várias vezes na semana passada, que ia matar todos os professores e suicidar-se de seguida, conta o El Mundo.

Segundo as mesmas testemunhas, o menor tinha uma lista de 25 professores que queria matar. Os colegas contaram ainda que sempre consideraram que a lista era uma brincadeira.

Governo decreta luto oficial 

O Governo catalão decretou esta terça-feira como dia de luto oficial pela morte do professor. Apesar do decreto só ser assinado amanhã por Artus Mas, os atos oficiais já foram suspensos dado o ataque desta segunda-feira. 

Também as atividades do instituto foram suspensas para esta terça-feira, para os alunos recebem apoio psicológico. Na quarta-feira serão retomadas as aulas e será feita um a homenagem ao professor falecido.

Esta segunda-feira foi ainda convocada uma reunião extraordinária com a comissão de diretores de primária e secundária pelo conselho de educação do governo da Catalunha.  Foi ainda aberto um inquérito ao ataque pelo tribunal de instrução 24 de Barcelona.

Ao ter conhecimento do ataque, o presidente da Câmara de Barcelona, Xavier Trias, deslocou-se de imediato ao Instituto, assim como a ministra da Educação, Irene Rigau.