O Comité de Alta-Segurança do Iémen anunciou que 52 médicos, enfermeiros e pacientes foram mortos, e outras 162 pessoas ficaram feridas, no ataque suicida desta quinta-feira ao Ministério da Defesa.

O ataque foi perpetrado por dois homens, um bombista-suicida e um atirador, na capital Sanaa.

Segundo apurou a Reuters, entre os mortos e feridos há cidadãos alemães e um familiar do presidente do Iémen, Abd-Rabbu Mansour Hadj, que visitava um paciente no hospital militar, dentro do Ministério.

Este foi o ataque mais devastador em 18 meses no Iémen.