A Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) anunciou que vai enviar “em breve” uma equipa de peritos para a Síria para investigar o alegado ataque químico contra a cidade rebelde de Douma, em Ghouta Oriental.

A organização, que recebeu um convite oficial do regime sírio para investigar no terreno, “pediu à República Árabe Síria para desencadear os procedimentos necessários para a deslocação”, anunciou a OPAQ em comunicado.

“A equipa prepara-se para se deslocar à Síria em breve”, acrescentou.

Na segunda-feira, o diretor-geral da OPAQ, Ahmet Uzumcu, anunciou que a organização fez uma “análise preliminar das informações” sobre o ataque e uma equipa de investigadores estava a tentar reunir mais elementos “para determinar se foram utilizadas armas químicas”.

Mais de 40 pessoas morreram no sábado num ataque contra a cidade rebelde de Douma, em Ghouta Oriental, que, segundo organizações não-governamentais no terreno, foi realizado com armas químicas.

A oposição síria e vários países acusam o regime de Bashar al-Assad da autoria do ataque, mas Damasco nega e o seu principal aliado, a Rússia, afirmou que peritos russos que se deslocaram ao local não encontraram “nenhum vestígio” de substâncias químicas.