O ministro do Interior de França disse esta segunda-feira que “não foram estabelecidas pela investigação, nesta fase”, relações entre o homem que matou 84 pessoas em Nice e “as redes terroristas”, incluindo o Estado Islâmico, que reivindicou o ataque.

“O modo operacional toma emprestado completamente o que são as mensagens do Daesch [Estado Islâmico]", disse, no entanto, Bernard Cazeneuve à rádio RTL.

“Não podemos excluir que um indivíduo desequilibrado e muito violento” se tenha, “através de uma rápida radicalização, comprometido com este crime absolutamente horrendo”, acrescentou.

Foi precisamente este ministro, Bernard Cazeneuve, que veio a público admitir que o homem de 31 anos, franco-tunisino, não estava referenciado por atividades terroristas junto das autoridades, assumindo que a radicalização foi rápida.

Com o passar dos dias, vão-se conhecendo mais pormenores sobre o homem que deixou a França novamente em estado de choque. 

Atacante de Nice fez “ensaio” e tirou selfie antes do massacre

O massacre de Nice teve direito a ensaios, na terça e quarta-feira, por parte Mohamed Lahouaiej Bouhlel, mesmo por baixo das câmaras de videovigilância do local.

A notícia é avançada pela rádio Europe 1, que fala das imagens que já foram analisadas pela polícia. Bouhlel terá conduzido o mesmo camião pela marginal de Nice, várias vezes, nos dois dias anteriores ao ataque, presumivelmente para avaliar o melhor local e a melhor forma para executar o seu plano.

Além da rádio Europe 1, também vários jornais franceses confirmam os “ensaios preparatórios” do homem de 31 anos, tunisino e que, tal como já foi confirmado por familiares, tinha uma depressão nervosa que se revelava, por exemplo, em manifestações exteriores de violência.

Já o canal de televisão iTele, acrescenta que, pela informação e material recolhidos, foi possível apurar que dias antes do ataque Bouhlel vendeu o carro e levantou todo o dinheiro que tinha na conta bancária. 

A imprensa acrescenta também que Bouhlel terá comprado uma pistola de calibre 7.65 e encomendado outro armamento. Informação que terá sido depreendida pelas mensagens recuperadas do telefone que os investigadores resgataram no apartamento do tunisino.

Pelo telemóvel foi também possível ter acesso a mensagens enviadas e recebidas pelo homem entre as quais, uma em que se mostrava feliz por ter comprado uma pistola e questionava o destinatário sobre o fornecimento de outras armas que teria encomendado, noticia também a agência France Press que cita fontes ligadas ao inquérito.

Bouhlel fez questão de registar o momento e no telemóvel foi também possível aceder a uma fotografia selfie tirada ao volante do camião frigorífico na véspera do ataque, e que terá sido enviada para vários números, diz ainda a agência.

Várias detenções até ao momento

Mohamed Bouhlel pode ter morrido, mas a investigação continua e, durante o fim de semana, foram feitas várias detenções de pessoas suspeitas de ligações a este ataque no Passeio dos Ingleses, em Nice.