O jovem de 18 anos que, na sexta-feira, matou nove pessoas num restaurante de Munique, na Alemanha, começou o planear este ataque há mais de um ano, de acordo com as autoridades alemãs.

Segundo a Reuters, o adolescente começou a pensar nisso após visitar uma escola, também na Alemanha, que foi palco de um massacre de 15 pessoas, em 2009.

O chefe da investigação, Robert Heimberger, revelou que o rapaz era um fã de jogos violentos e acedia à chamada zona negra da Internet, onde acabou por comprar a arma usada no ataque. Afinal, junto com o cadáver do jovem estavam cerca de 300 balas.

Os dados recolhidos encaixam no perfil de que Ali David Sonboly idolatrava o norueguês Brevik, autor de um massacre de dezenas.

Descrito pelos vizinhos como um “bom ser humano”, este era o mesmo rapaz que ameaçava matar os colegas e recebia tratamento psiquiátrico. No entanto, não foram encontradas nenhumas ligações entre a ação de Ali David Sonboly e o Estado Islâmico.

Dúvidas que talvez os pais possam ajudar a explicar, mas que, por enquanto, ainda não foi possível. , Robert Heimberger fez saber que o taxista e a mulher se encontram em estado de choque e que ainda não foi possível interrogá-los.