Um estudo revelou que é pouco provável que fazer sexo lhe provoque uma paragem cardíaca. Citado pela BBC, o estudo do Instituto do Coração Cedars-Sinai, revela que apenas 34 das 4.557 paragens cardíacas examinadas no estudo ocorreu durante ou até uma hora depois da atividade sexual e 32 dos afetados eram homens.

O estudo, que foi apresentado no encontro da Associação Americana do Coração, foi realizado por Sumeet Chugn e é o primeiro a avaliar a atividade sexual como potencial provocador de paragens cardíacas. 

Importa explicar que a paragem cardíaca acontece quando, inesperadamente, o coração para de bater, o que difere de um ataque cardíaco que é uma interrupção no fornecimento de sangue para uma parte do coração.

Apesar do estudo revelar que não, fazer sexo não lhe vai causar uma paragem cardíaca, a atividade sexual pode sim desencadear um ataque cardíaco.

De acordo com a investigação de Sumeet Chugn e dos seus colegas, os registos dos hospitais em Portland, Oregon, entre 2002 e 2015, mostram que apenas 1% dos casos de paragem cardíaca podem ser relacionados com a atividade sexual. 

A maioria das vítimas eram homens de meia idade com historial de doenças cardiovasculares. 

O estudo revela ainda que foram realizadas manobras de reanimação, que podem salvar a vida do doente nestas situações, só foram realizadas num terço dos casos.