Rosario Porto Ortega e Alfonso Basterra Camporro, os pais adotivos de Asunta, foram condenados a 18 anos de prisão pelo homicídio da menina de 12 anos, com a agravante de parentesco, noticia o El País, que cita a sentença da Sexta Secção do Tribunal Provincial de Corunha.

Duas semanas depois de ter sido considerado culpado do crime, o ex-casal ficou a conhecer a sentença por ter drogado e asfixiado a filha.

Os advogados de defesa já anunciaram que vão recorrer da sentença do juiz Jorge Cid Carballo.

O corpo de Asunta Basterra foi encontrado no dia 22 de setembro de 2013, numa estrada florestal em Teo, em Espanha. Rosario Porto terá esperado pela noite para esconder o corpo da filha no carro e abandoná-lo, depois do casal ter passado três meses a administrar uma dose diária de Orfida a Asunta.

As autoridades acreditam que os pais de Asunta Basterra a mataram, para ficar com uma herança.