Pelo menos cinco pessoas morreram e 16 ficaram feridas, na sequência de um acidente com um autocarro nas Astúrias, em Espanha. De acordo com o jornal El País, o veículo chocou com um pilar de um viaduto em obras na variante de Avilés, e ficou partido em dois.

Quatro pessoas morreram na colisão e uma quinta vítima não resistiu aos ferimentos quando era transportada de ambulância para um centro hospitalar, sendo três delas homens e outras duas mulheres.

Ainda de acordo com o El País, que cita fontes da administração regional de Saúde, entre os 16 feridos, cinco estão em estado crítico, uma em estado grave e dez com ferimentos leves. O condutor do autocarro é um dos feridos graves e, segundo diversas fontes, sofreu diversas amputações. Os feridos foram transportados de ambulância e de helicóptero para o hospital universitário das Astúrias (UHUCA), em Oviedo, para o hospital de San Agustín, em Avilés, e para o centro hospitalar Cabueñes, em Gijón.  

O acidente aconteceu cerca das 13:40 locais (12:40 em Lisboa). O autocarro que fazia a ligação Cudillero-Avilés-Gijón despistou-se, por razões ainda desconhecidas e embateu no pilar. O veículo pertencia à empresa Alsa e estava em serviço especial para o Consórcio de Transportes das Astúrias. 

A empresa já abriu uma investigação ao acidente e garantiu que o autocarro estava dotado dos "mais modernos sistemas de segurança" e que a última revisão de manutenção foi a 19 de agosto.

O ponto da variante onde ocorreu o despiste tem velocidade limitada devido às obras destinadas a fornecer novos acessos ao Parque empresarial Principado das Astúrias e à margem direita do Porto de Avilés, onde também foram colocados separadores de plástico que o autocarro arrastou até colidir com o pilar.

Foram mobilizados para o local efetivos do Serviço de Emergência, da Guardia Civil e da polícia. O presidente do Governo Regional, Guillermo Martínez, também se deslocou ao local e acompanhou os trabalhos de resgate.