O diplomata das ilhas Fiji, Peter Thomson é o novo presidente da assembleia-geral das Nações Unidas, após a eleição realizada esta segunda-feira.

O diplomata de Suva bateu por escassa margem o cipriota Andreas Mavroyiannis, e este ano, ao contrário dos anteriores, não houve um candidato consensual, e os Estados Unidos tiveram de escolher entre os dois candidatos mesmo no dia da votação.

Peter Thomson alcançou 94 votos, enquanto Andreas Mavroyiannis obteve 90.

O até agora embaixador das Fiji junto das Nações Unidas Governo sucede ao dinamarquês Mogens Lykketoft no próximo mês de setembro, e ocupará o cargo durante um ano, presidindo à 71.ª sessão da assembleia das Nações Unidas.

A sua prioridade, afirmou, será trabalhar na aplicação dos objetivos de Desenvolvimento da Sustentabilidade, o Grande Plano contra a Pobreza e para a Proteção do Meio Ambiente aprovado no ano passado.

"Eu vejo-o como o plano de sobrevivência para a nossa espécie neste planeta", disse Thomson, segundo a EFE.

"Está aí o futuro dos nossos filhos e netos", acrescentou, referindo que o Plano não é perfeito, mas completo e suficiente para assegurar um futuro sustentável.