Entre janeiro e março foram assassinadas 4.696 pessoas na Venezuela, segundo dados divulgados na terça-feira pela procuradora-geral da República venezuelana, Luísa Ortega Diaz, que dão conta de que a população terá linchado 37 alegados criminosos.

A convivência pacífica tem sido afetada pela aparição de grupos criminosos organizados e articulados, que operam no país, situação que constitui uma das principais causas do aumento da criminalidade", explica a procuradora, num comunicado.

Luísa Ortega Díaz alerta ainda para o "factor do tráfico de armas", apelando às autoridades para "desarmarem" a população e controlarem a posse de armas.