Uma norte-americana residente em York, na Pensilvânia, ficou sem a carteira onde estavam o seu telemóvel e seu tablet, que lhe foi levada de dentro do carro. Mas o que mais preocupou Patricia Harris foi as memórias que lhe foram levadas. Nos aparelhos estavam mais de 500 fotografias do filho bebé que morreu com apenas dois meses de síndrome de morte súbita.



Patricia Harris, de 27 anos, espalhou cartazes pelas ruas circundantes ao local onde foi assaltada, perto de casa, apelando ao ladrão que lhe devolvesse os cartões de memória onde estavam armazenadas as imagens. O casal deixou o carro aberto para que os assaltantes pudessem devolver os cartões no mesmo sítio de onde tinham levado a carteira.



A história de Patrícia tocou o coração de muitos internautas que a espalharam nas redes sociais. E, cerca de uma semana depois, Patricia regressava do trabalho quando percebeu que os cartões de memória lhe tinham sido colocados no carro. Só os cartões. Nenhum dos outros bens roubados foi devolvido.

O pequeno Cole Brady Fogle nasceu em dezembro do ano passado e morreu a 22 de fevereiro com síndrome de morte súbita.