O Presidente afegão Ashraf Ghani classificou esta quinta-feira o ataque contra o jornal satírico francês Charlie Hebdo, que causou 12 mortos e 11 feridos, como um «ato terrorista de ódio».

Em comunicado, Ghani, condenou «firmemente o ataque terrorista contra o Charlie Hebdo», apesar de o seu país ser confrontado quase quotidianamente com atentados talibãs.

«Matar pessoas indefesas e civis é um ato de terrorismo de ódio, não há justificação para este ato de ódio», afirmou Ghani, apresentando as suas condolências ao Presidente francês, aos familiares das vítimas e ao «povo da França».