O ataque informático ao site de traições Ashley Madison já causou vítimas. Segundo a BBC, que cita a polícia do Canadá, dois clientes do site suicidaram-se depois de verem os seus dados tornados públicos pelos hackers.

"Esta manhã recebemos dois relatos não confirmados de suicídios relacionados com o ataque aos dados dos clientes do site Ashley Madison", afirmou o inspetor Bryce Evans.


Em conferência de imprensa, na sede da Polícia de Toronto, o inspetor revelou ainda que a Avid Life Media, proprietária do Ashley Madison, está a "oferecer uma recompensa de 500 mil dólares a quem tiver informações que permitam identificar, deter e condenar a pessoa, ou pessoas, responsável pelo ataque ao servidor do Ashley Madison".

"Este ataque é uma das maiores violações de dados no mundo e é muito original na medida que expôs dezenas de milhões de informações pessoais", acrescentou.


Em julho, um grupo de hackers (The Impact Team) invadiu a base de dados do site Ashley Madison, um portal onde pessoas casadas podem encontrar um parceiro para ter uma relação extraconjugal, e ameaçou divulgar os dados online caso o site não fosse encerrado.

Cumprindo com a promessa, em agosto, os piratas informáticos que roubaram os dados do site de infidelidades publicaram mesmo os dados dos utilizadores na Internet