O primeiro-ministro da Ucrânia, Arseniy Yatsenyuk, apresentou a sua demissão, esta quinta-feira, depois de uma ruptura na coligação parlamentar.

Os partidos «Udar» e «Svodova» abandonaram a coligação que sustentava o Governo de Kiev, e Yatsenyuk preferiu não avançar com contactos para formar uma nova, pois implicaria a entrada do partido das Regiões, líder do Governo anterior.

Yatsenyuk afirmou que a sua decisão se baseou no bloqueio parlamentar que impede o reforço do orçamento do exército.

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko deverá convocar novas eleições.