Um antigo analista da CIA acredita ter encontrado o local onde os serviços secretos norte-americanos guardam o arsenal que tem servido para armar rebeldes ou forças de resistência em conflitos que vão desde a invasão da Baía dos Porcos ao Afeganistão, passando por Irão ou Angola. Aquele que é referido em vários documentos como «Midwest Depot» será afinal no Texas.

Há dois locais conhecidos como cenários de operações da CIA, a sede em Langley e também uma base militar chamada Camp Peary, igualmente na Virgínia, onde se pensa que são treinados agentes para operações clandestinas. Mas sempre se acreditou que haveria uma terceira base, que servia para armazenar e distribuir armamento pelo mundo.

Agora, o New York Times cita a investigação publicada por Allen Thomson, antigo analista da CIA, no site da Federation of Amerian Scientists, que reuniu vários documentos e conclui que o Midwest Depot será numa base chamada Camp Stanley, no Texas. Oficialmente aquela base serve como depósito militar, sem qualquer ligação oficial à CIA.

Nem a secreta norte-americana nem o Pentágono quiseram comentar a informação ao New York Times.

Allen Thomson defende que o tema seja devidamente esclarecido. «Tenho-me preocupado com a extensão da forma como os Estados Unidos espalharam armas durante décadas por vários grupos que apoiaram», diz o ex-analista ao jornal: «Essas armas são muito duradouras e, depois de passado o motivo para que fossem usadas, para onde foram? Para ser um pouco dramático, quantas dessas AK-47 e RPG-7 que vemos nas mãos de islamistas passaram pelo Midwest Depot para serem usadas por lutadores pela liberdade nas últimas décadas?»