A Câmara dos Representantes votou segunda-feira uma resolução em que apela ao Presidente Barack Obama para disponibilizar armas letais à Ucrânia para que se possa defender da «agressão» russa.

A resolução foi aprovada com 348 votos a favor e 48 contra, colocando assim maior pressão à Administração Obama para acabar com os atrasos no fornecimento de armas e outros equipamentos pesados às forças de Kiev.

O Congresso tem falado a uma só voz sobre o armamento direto das forças ucranianas, mas no seio do próprio Governo de Obama existem algumas divisões.

Na sequência de vários relatos de violação do cessar-fogo entre as forças ucranianas e os rebeldes pró-russos, a Casa Branca tinha anunciado entregar equipamentos de defesa não letais no valor de 75 milhões de dólares (68,6 milhões de euros).

Apesar da decisão, quer o líder militar norte-americano, quer o próprio Secretário da Defesa, sustentam uma ajuda militar letal.

Nesse sentido, a resolução de segunda-feira insta Barack Obama no sentido da ajuda militar letal para que os ucranianos «possam defender o seu território da agressão não provocada e contínua da Federação Russa».

John Boehner, presidente da Câmara dos Representantes, alertou para a chamada de atenção e recordou ser favorável a uma aposta mais firme na componente da ajuda militar.