Um polícia usou um 'taser' numa rapariga de 11 anos por suspeita de que a criança estaria envolvida em roubos numa mercearia. Aconteceu na cidade de Cincinnati, Ohio, nos Estados Unidos, esta segunda-feira.

O agente, que estaria de folga, aproximou-se e abordou a rapariga à porta da loja, que seguiu ignorando o homem, de acordo com comunicado das autoridades.

Nesse momento, o polícia disparou-lhe o 'taser' nas costas, causando ferimentos à rapariga. Ao que tudo indica, o polícia estava junto à mercearia porque suspeitava que várias jovens estariam na loja a roubar produtos.  

Depois do ataque, a vítima foi levada para o hospital, mas "sob custódia e acusada de roubo e obstrução de ordens oficiais"Feita a avaliação médica, foi entregue aos pais.

A mãe, Donna Gowdy, disse à CNN que a arma de choque atingiu a filha na base da coluna e entre as omoplatas, deixando várias marcas.

O comportamento do polícia norte-americano foi alvo de várias críticas.

"Atacar uma rapariga de 11 anos que não representava nenhum perigo para a polícia está errado. Sinto-me muito mal por ela e pela família", disse o presidente da Câmara de Cincinnati, John Cranley, num comunicado divulgado na quarta-feira.

O autarca disse ainda que já pediu aos procuradores para retirarem as acusações contra a rapariga.

P.G. Sittenfeld, membro do Conselho Municipal de Cincinnati, também já manifestou indignação com o comportamento do polícia numa publicação no Twitter.

"Uma criança de 11 anos que não representa nenhuma ameaça séria à segurança das pessoas não deve ser atacada com um 'taser'. Ponto final.", pode ler-se.

De acordo com a CNN,  a Polícia está já a fazer uma "revisão muito completa" do incidente e das políticas de uso de força.

"Ficamos extremamente preocupados quando a força é usada por um dos nossos oficiais em numa criança desta idade", disse o chefe de polícia Eliot K. Isaac, em comunicado.

O agente, cuja identificação é desconhecida, foi colocado em serviço restrito "dependendo do resultado da investigação".

"Se um polícia não consegue lidar com uma rapariga de 11 anos, então o melhor é sair da Polícia. Estamos aqui para proteger estas crianças", disse Gowdy à WCPO, afiliada da CNN.

No entanto, também houve quem defendesse o comportamento do agente agora a ser investigado. Um deles foi Dan Hils, presidente da Ordem Fraterna da Polícia de Cincinnati.

O 'taser' está dentro da nossa política de procedimento e diretrizes. Acho desencorajador polícias e líderes da cidade 'abandonarem' esta autoridade que estava simplesmente a fazer o seu trabalho", esclareceu Hils.

Segundo a WCPO, os procedimentos da polícia de Cincinnati permitem o uso de uma arma de choque em suspeitos com apenas 7 anos. O vice-presidente da cidade, Chris Smitherman, divulgou um comunicado, onde pode ler-se que foi apresentada uma moção para aumentar a idade para os 12 anos.