Mais um caso que acaba num civil morto por um polícia, nos EUA, em circunstâncias duvidosas. Um agente caucasiano matou a tiro um homem negro não armado no Arizona, informaram as autoridades na quinta-feira.

O indicente acontece numa altura em que continuam os protestos em Nova Iorque por casos similares.

Segundo a Lusa, o agente estava a investigar uma atividade relacionada com droga no exterior de uma loja de conveniência e assumiu que o suspeito, de 34 anos, levou a mão esquerda ao bolso para sacar de uma arma, na sequência de uma luta na quarta-feira em Phoenix. Mas não a tinha.

Ainda na quinta-feira, um Grande Júri norte-americano decidiu não acusar um polícia de Nova Iorque da morte de um homem em julho

O afro-americano Eric Garner, de 43 anos, vendia cigarros ilegalmente na rua quando foi intercetado pela polícia. O homem, doente de asma, sofreu aparentemente um ataque que lhe provocou a morte, na sequência dos alegados esforços da polícia para o deter.

O agente terá desvalorizado os sintomas do homem e supostamente não lhe prestou ajuda em tempo.