Ariel Castro, condenado a prisão perpétua por ter mantido três mulheres em cativeiro durante mais de uma década na cidade norte-americana de Cleveland, foi encontrado morto na sua cela, informou hoje a imprensa local.

O canal de televisão norte-americano CBS e outros órgãos de comunicação social dos Estados Unidos anunciaram que o antigo motorista de autocarros escolares, de origem porto-riquenha e que ficou conhecido como «o monstro de Cleveland», foi encontrado morto na noite de terça-feira na cela da cadeia onde cumpria a pena de prisão perpétua.

Ariel Castro foi condenado a 01 de agosto, sem direito a liberdade condicional, depois de se ter declarado culpado de sequestrar, violar e maltratar três mulheres durante mais de uma década, tendo forçado, por diversas vezes, abortos a uma das mulheres que mantinha em cativeiro.