Ariel Castro, o homem que raptou e sequestrou três mulheres durante uma década em Cleveland, no Ihio, Estados Unidos, vai passar o resto da vida na prisão.

Num acordo alcançado esta sexta-feira, a defesa do antigo motorista aceitou o acordo: Ariel assume a culpa pelos crimes, que incluem também violação e homicídio dos bebés de uma das mulheres, e «salva-se» assim da pena de morte.

Pelos 997 crimes de que é acusado, Ariel castro, de 52, apanha perpétua, e mais: a sua pena vai ser agravada em mil anos e todos os seus bens ser-lhe-ão retirados.

O juiz adiantou de que há planos para demolir a casa onde as três mulheres estiveren em cativeiro.

«O senhor nunca mais vai sair em liberdade, compreende?», perguntou o juiz a Castro. Por seu turno, ele respondeu: «Eu compreendo, meretíssimo juiz», numa citação da BBC.

Ariel Castro admitiu ter sido vítima de abuso sexual em criança, acrescenta um jornalista da NewsChannel5 no Twitter.

Ariel castro está detido desde maio, altura em que as três mulheres conseguiram escapar da casa.