Celeste Ayala, polícia e mãe há pouco tempo, estava de serviço num hospital pediátrico quando ouviu um bebé de apenas seis meses a chorar. Reconheceu o choro e percebeu logo o que precisava: comida. Sem hesitar, pegou nele e amamentou-o. O gesto que está correr o mundo aconteceu no passado dia 15 de agosto em La Plata, Buenos Aires, na Argentina.  

A agente fazia a segurança na unidade hospitalar, acompanhada por um colega, que fotografou o momento e publicou no Facebook. A fotografia que conta a história tornou-se viral nas redes sociais.

Quero tornar público este grande gesto de amor que tiveste com este bebé. Sem o conheceres, não hesitaste nem um momento e agiste como se fosses mãe dele. Não te importaste com o cheiro e a sujidade dele, que tanto incomodou os profissionais do hospital. Coisas assim não se veem todos os dias", lê-se na publicação de Marcos Heredia.

Celeste Ayala contou ao jornal Clarín que fez o que o "instinto maternal" lhe mandou.

Está com fome", disse no hospital, sendo depois avisada pelos funcionários de que a criança "estaria suja e que cheirava mal".  

O bebé em causa tinha acabado de chegar ao hospital com os cinco irmãos menores que tinham sido separados dos pais por ordem do tribunal, segundo o mesmo jornal argentino. Estavam no hospital por estarem malnutridos.  

O ministro da Segurança de Buenos Aires já fez questão de agradecer pessoalmente o gesto. O encontro com Celeste aconteceu na última sexta-feira e marcou também a promoção da agente, que subiu à categoria de Sargento. 

Cristian Ritondo escreveu: "A polícia que nos orgulha. A polícia que queremos."