Uma jornalista fotografou uma menina indígena a beber água de uma poça na estrada, na Argentina. Patricia Fernández estava a fazer a viagem de carro até ao local de trabalho, a publicação Misiones Online, quando parou para ver algo que nunca tinha presenciado. A imagem está a comover o mundo.

“Eu nunca vi o que vi naquele dia, partiu-me a alma”, declarou Patricia ao La Nación, jornal argentino. 

Foi há uma semana, no dia 13, enquanto passava pela Avenida Mitre, na cidade de Posadas, que a jornalista se deparou com a situação. Uma menina, com cerca de quatro anos de idade, matava a sede com água de uma poça no chão. Naquele dia, as máximas na localidade eram de 37 graus.

A menina pertence a um dos povos indígenas mais antigos do continente americano, o povo mbyá guarani. A jornalista explicou que há várias famílias indígenas a viver ao longo desta avenida, pedindo esmolas.

“Tirei uma fotografia porque não conseguia acreditar, era algo impressionante, que ilustra a realidade destas pessoas que vivem na rua”, acrescenta Patricia ao La Nación.

Patricia ficou tão chocada que reuniu um grupo de colegas do jornal onde trabalha e todos ajudaram a comprar águas para as crianças e as respetivas famílias.

A fotografia que retrata o momento foi publicada no site do Misiones Online na semana passada e rapidamente se tornou viral nas redes sociais e comentada nos meios de comunicação internacionais.

Apesar de ter ficado perturbada com a cena que deu origem à imagem, esta não foi a primeira vez que Patricia interagiu com estas crianças. De resto, todos os anos, acompanhada da filha de seis anos, oferece bens ao povo indígena no Natal e na Páscoa.

“Espero que a fotografia leve mais pessoas a ajudarem. Felizmente, há muitas pessoas solidárias”, afirmou.

O mbyá são um subgrupo do povo guarani, com presença no Paraguai, no Brasil e na província de Missiones, na Argentina. Aqui, vivem aproximadamente 6500 habitantes.