Um agente dos serviços secretos da Argentina foi preso por assalto à casa de um candidato da oposição.

As câmaras de vigilância apanharam um homem a conversar com dois seguranças e, mais tarde, a entrar em casa de Sergio Massa, presidente da Câmara da cidade de Tigre.

Quinze horas depois foi detido o intruso, que não é um mero ladrão, mas sim agente dos serviços secretos.

A investigação revelou agora uma complexa teia de rivalidades entre as secretas argentinas, ações do Governo para desacreditar dirigentes da oposição e a cumplicidade das forças de segurança.