O milionário príncipe Alwaleed bin Talal está entre as dezenas de pessoas que foram detidas na noite de sábado na Arábia Saudita no âmbito de uma vasta investigação anticorrupção que também versa sobre antigos e atuais ministros.

A detenção de Alwaleed bin Talal foi avançada por um alto funcionário da King Holding Company, que o príncipe saudita preside, que falou à agência de notícias norte-americana Associated Press (AP) sob condição de anonimato.

Alwaleed bin Talal é um dos homens mais ricos do Médio Oriente, detendo investimentos no Twitter, na Apple, no Citigroup, na News Corporation de Rupert Murdoch, na cadeia hoteleira Four Seasons e mais recentemente na Lyft.

O ex-ministro das Finanças saudita, Ibrahim al-Assaf, também está entre os detidos.

Segundo a televisão Al Arabya, citada pela agência Reuters, 11 príncipes, quatro ministros e dezenas de ex-ministros foram detidos no âmbito desta operação.

As detenções foram realizadas pelo comité anticorrupção, criado no sábado pelo rei, Salman bin Abdulaziz al-Saud.

Este comité vai investigar casos de corrupção e pode decretar a prisão dos envolvidos. O organismo também pode proibir viagens ao exterior e decretar o congelamento de bens dos investigados.