De acordo com a agência, os manifestantes lançaram 'cocktails Molotov' contra a embaixada da Arábia Saudita na capital do Irão e forçaram a entrada na representação diplomática, tendo sido depois forçados a recuar pela polícia.

Nimr al-Nimr, que passou mais de uma década a estudar teologia no Irão, foi um dos 47 xiitas e sunitas hoje executados após condenação por terrorismo na Arábia Saudita.

Recorde-se que o porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano, Hossein Ansari Jaber, afirmou este sábado que a Arábia Saudita vai pagar um “ preço elevado” pela execução do dignitário religioso xiita Nimr Bager al-Nimr.

 

"O governo saudita apoia, por um lado, os movimentos terroristas e extremistas e, ao mesmo tempo, utiliza a linguagem da repressão e da pena de morte contra os seus opositores internos (…) ele [governo] vai pagar um preço elevado por estas políticas", disse Ansari Jaber, citado pela agência de notícias iraniana IRNA.