O presidente do Quénia ratificou nesta terça-feira a nova lei matrimonial do país, que torna legal um homem casar com várias mulheres. A poligamia é só permitida a homens e não a mulheres.

A aprovação aconteceu apesar de protestos de muitos setores feminino e religiosos, com o presidente Uhuru Kenyatta a defender que o casamento «é a união voluntária de um homem e uma mulher, seja monógama ou polígama».

A proposta de lei inicial previa que a mulher pudesse vetar a escolha do homem, uma prerrogativa da primeira esposa que vem dos costumes ancestrais que serviram de pretexto à legislação, mas os membros masculinos do parlamento de vários partidos uniram-se para deixar cair essa alínea, conta a France Press.