A Apple perdeu uma ação em tribunal contra uma marca de malas e carteiras chinesa. O Supremo Tribunal de Pequim não deu razão ao gigante da tecnologia norte-americano, que exigia que a marca chinesa não pudesse usar o nome “iPhone”, designação do famoso smartphone da Apple, nos seus produtos.

O argumento da Apple, de que “iPhone” era uma "marca famosa” já antes de 2007 – altura em que a empresa chinesa registou a marca - e, como tal, retirava o direito a outros de usar a palavra nos seus produtos, não colheu junto da justiça chinesa, de acordo com a AP, que cita o jornal do Partido Comunista chinês, Legal Daily.

Assim, na China, iPhone pode continuar a ser um telefone e uma mala ou carteira. A China é o segundo maior mercado de vendas da Apple, a seguir aos Estados Unidos.