Jihadistas apedrejaram até à morte uma jovem síria acusada de adultério, segundo um vídeo colocado hoje na internet pelo grupo extremista Estado Islâmico. O incidente, cuja data é desconhecida, terá ocorrido em Hama, uma região central da Síria.

Na gravação, que dura cerca de cinco minutos, vê-se uma mulher frente a um homem identificado como pai e a um jihadista que afirma que aquele será o primeiro apedrejamento por adultério na região.

Segundo o relato do vídeo feito por agências internacionais, a mulher pede clemência, mas o pai rejeita, «remetendo» a decisão para «deus todo-poderoso».

Nas imagens aparece primeiro um militante do Estado Islâmico, a explicar o que irá acontecer e os motivos. Durante quase todo o tempo, a vítima pede clemência, mas o pai rejeita sempre os apelos e o perdão.
A mulher acaba por ser amarrada e um buraco é escavado no chão. São lançadas pedras até que, aparentemente, esta morre. O próprio pai terá participado no ataque.

O vídeo encontra-se disponível no Youtube. Alerta-se os leitores para a violência das imagens.