A Polícia Federal (PF) brasileira deteve esta segunda-feira o ex-ministro Antônio Palocci, no âmbito da Operação Lava Jato, que investiga um grande esquema de corrupção no Brasil, divulgou a imprensa brasileira.

De acordo com o portal de notícias G1, Antônio Palocci (do Partido dos Trabalhadores/PT), que foi ministro da Casa Civil no Governo da Presidente Dilma Rousseff e ministro das Finanças no Governo de Lula da Silva, foi preso no âmbito da 35.ª fase da Operação Lava Jato, batizada de “Omertà”.

A prisão do ex-ministro foi pedida pela PF e acatada pela Justiça. Estão a ser cumpridos mandados na casa e no escritório do ex-ministro.

A operação "Omertà" não visa apenas o ex-ministro. No total, foram emitidos 45 mandados judiciais em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal. O ex-secretário da Casa Civil Juscelino Antônio Dourado e o ex-assessor da campanha de Palocci, em 2006, Branislav Kantic.

Ainda de acordo com o G1, suspeita-se que o ex-ministro tenha favorecido o grupo Odebrecht enquanto foi ministro, a troco de dinheiro.

Há indícios de que o ex-ministro atuou de forma direta para propiciar vantagens económicas ao grupo empresarial nas mais diversas áreas de contratação com o poder público, tendo sido ele próprio e personagens de seu grupo político beneficiados com vultosos valores ilícitos", afirma a Polícia Federal em comunicado.