O Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados, António Guterres, admitiu esta sexta-feira que teme pelo futuro do sistema de asilo na Europa. Guterres apelou ao acolhimento de um maior número de refugiados e à sua distribuição pelos vários países da Europa, antes que o sistema se desmorone.

Guterres aplaudiu o acordo que prevê que a agência europeia Frontex reforce a sua presença na Grécia para ajudar ao registo dos requerentes de asilo, mas sublinhou que esta medida não é suficiente.

O Alto Comissário lembrou o elevado número de pessoas que tem chegado ao continente europeu, muito superior ao que já foi distribuído pelo sistema de quotas da União Europeia. Neste sentido, mostrou a sua preocupação em relação ao futuro do sistema de asilo europeu.

“Há centenas de milhar de pessoas, não apenas o número que têm sido discutido até agora para o acolhimento. Se isto não é considerado e as tragédias no Mar Egeu e nos Balcãs continuam, devo dizer que estou muito preocupado com o futuro do sistema de asilo europeu."


O Alto Comissariado das Nações Unidas revelou esta sexta-feira que o ano de 2015 deverá saldar-se por um novo recorde de deslocados e refugiados no mundo, depois de em 2014 ter sido fixado em 59,5 milhões de pessoas.

Segundo um novo relatório, divulgado esta sexta-feira, o número poderá ultrapassar os 60 milhões.

“O ano de 2015 será, sem dúvida, o palco de uma alta sem precedentes em matéria de deslocamentos forçados no mundo”, lê-se no relatório.