O comissário europeu Carlos Moedas considerou esta quinta-feira em Bruxelas que a eleição de António Guterres como secretário-geral da ONU constitui “um triunfo extraordinário” de “um homem extraordinário”.

Penso que é um grande dia para Portugal e penso que é um triunfo extraordinário de um homem (…) É um homem que tem realmente qualidades extraordinárias. Um homem extraordinário, um português extraordinário”, disse o comissário português.

Carlos Moedas realçou igualmente o que classificou como “uma vitória também da diplomacia portuguesa”.

Mostrámos que Portugal tem uma diplomacia extraordinária, uma máquina diplomática capaz e isso é extraordinário para o país. Portanto, é um dia para ganhar confiança como portugueses”, afirmou.

Quanto à candidatura de última hora da vice-presidente da Comissão Europeia Kristalina Georgieva, apontou que esta não era uma candidata do executivo comunitário, pois “a Comissão não tem nenhum candidato”, os países é que apresentaram candidatos e António Guterres foi “o melhor, de tão longe”, como o demonstraram as votações no Conselho de Segurança.

O Conselho de Segurança da ONU escolheu hoje por unanimidade e aclamação o antigo primeiro-ministro português como secretário-geral da organização.

A escolha do Conselho de Segurança, o principal órgão decisório das Nações Unidas, deverá agora ser ratificada pela assembleia-geral da organização.