Esta semana arranca com um encontro entre os ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia (UE), em Bruxelas. A luta antiterrorista irá dominar o debate, depois dos atentados ao «Charlie Hebdo» e noutros pontos de Paris e poucos dias após uma operação policial de grande escala na Bélgica. A capital diplomática da UE terá prevenido atentados do género nos últimos dias.

A questão já estava na agenda do encontro de chefes de diplomacia ainda antes da operação antiterrorista da passada quinta-feira à noite na Bélgica – que resultou na morte de dois jihadistas e na detenção de outros 13 presumíveis terroristas -, tendo sido inscrita na ordem de trabalhos na sequência dos atentados da semana passada em Paris.

Os ministros dos 28, entre os quais Rui Machete, vão discutir com a Alta Representante da UE para os Negócios Estrangeiros, Federica Mogherini, e com o coordenador antiterrorista da UE, Gilles de Kerchove, de que modo pode ser reforçada a luta contra o terrorismo jihadista.

Fontes comunitárias indicaram que não são aguardadas decisões no encontro de hoje. O principal objetivo é uma primeira troca de opiniões, também com vista à cimeira informal de chefes de Estado e de Governo da UE que se realizará no próximo mês.

Uma cimeira que será dedicada precisamente à luta contra o terrorismo. Ficou decidido que assim seria sequência dos ataques em Paris.