Anthony Avalos tinha apenas dez anos. Contou à família que "gostava de rapazes" uma semana antes de ter sido brutalmente espancado e acabar por morrer. O suspeito é o padrasto, Kareem Leiva. 

O rapaz foi encontrado insconsciente em sua casa na cidade de Lancaster, nos Estados Unidos. Ainda foi transportado para o hospital, mas acabou por morrer na manhã seguinte. Na chamada de pedido de socorro, a mãe terá dito que o filho tinha "caído". 

De acordo com a CBS News, Kareem Leiva já foi preso esta quarta-feira, depois ter sido interrogado pela polícia de Los Angeles. A detenção aconteceu depois de as autoridades saberem que a criança tinha sido espancada, fechada várias vezes no quarto, sem autorização para ir à casa de banho. E além disto, foi-lhe ainda negada a alimentação. 

De acordo com uma entrevista concedida pelo tio da vítima à NBC News, Kareem Leiva tem ligação com um gangue salvadorenho chamado "Mara Salvatrucha"  e conhecido como MS-13. O homem tinha também histórico de envolvimento em casos de homofobia.

O Departamento para Crianças e Famílias de Los Angeles assumiu já ter o caso de Anthony sinalizado. Uma tia da criança já tinha denunciado comportamentos abusivos por parte do padrasto, mas, na altura, nada foi feito. Desta denúncia, também se veio a saber que os outros filhos do casal terão sido forçados a comer lixo. 

Anthony tinha marcas de queimaduras de cigarro no corpo e apresentava lesões na cabeça, que, segundo a mãe, Heather Barron, terão sido causadas por uma queda acidental.  A mãe de Anthony, e o namorado apresentaram-se na terça-feira no tribunal, que determinará o futuro dos outros seis filhos, entretanto retirados da casa. 

Segundo a imprensa local, desde 2013, foram realizadas pelo menos 16 chamadas telefónicas para os serviços sociais, com denúncias contra Heather Barron e Kareem Leiva, sendo que 13 dessas indicavam Anthony como a vítima.