A Polícia Nacional de Angola anunciou esta terça-feira ter detido um homem, na província do Cunene, no sul, por suspeita do homicídio do sobrinho de quatro anos, que acusou de ser feiticeiro, uma crença comum no país.

De acordo com fonte da polícia angolana citada pela Lusa, tudo aconteceu no município de Ombadja e terá sido perpetrado por um jovem de 18 anos, já acusado do homicídio qualificado do sobrinho, "por asfixia", tendo como móbil do crime a "crença ao feiticismo".

A crença nas "crianças feiticeiras", por os seus nascimentos antecederem por vezes tragédias e mortes nas famílias, ainda é comum em várias zonas de Angola.