Pelo menos quatro dos 15 ativistas angolanos detidos desde junho em Luanda, incluindo o ‘rapper' luso-angolano Luaty Beirão, iniciaram esta quinta-feira uma greve de fome em protesto contra a morosidade do julgamento que se arrasta desde 16 de novembro.

A informação foi confirmada à agência Lusa por Esperança Gonga, esposa do professor universitário Domingos da Cruz, um dos quatro detidos que iniciou a greve de fome no Hospital-Prisão de São Paulo, em Luanda, juntamente com Sedrick de Carvalho e José Gomes Hata.

O ativista angolano Luaty Beirão anunciou, no final de outubro, o fim da greve de fome que durou 36 dias. 

Henrique Luaty Beirão, de 33 anos, está em prisão preventiva desde junho e formalmente acusado desde 16 de setembro pelo Ministério Público angolano de atos preparatórios para uma rebelião e um atentado contra o Presidente angolano, José Eduardo dos Santos.

O julgamento de Luaty Beirão e dos outros 16 ativistas começou a 16 de novembro.