Angela Merkel não garante que o encontro da chanceler e de François Hollande com Vladimir Putin, esta sexta-feira, em Moscovo, possa trazer um derradeiro acordo que vise o fim da crise no leste ucraniano.

«Está totalmente em aberto se vamos ou não conseguir, através deste encontro, um acordo de cessar-fogo. Não sabemos se vamos consegui-lo já esta sexta-feira, talvez outros encontros sejam necessários.»


A chanceler alemã afirmou, em conferência de imprensa esta sexta-feira, que o objetivo desta viagem à Rússia é acabar com a violência na Ucrânia, mas esclareceu que os dois líderes só podem fazer aquilo que está ao seu alcance para que isso aconteça.

«Não sabemos se as negociações em Moscovo serão longas ou curtas, ou se serão mesmo as últimas. Só conseguiremos fazer o que for possível para resolver este conflito e colocar um fim a este derrame de sangue.»


Na quinta-feira, François Hollande afirmou que um acordo passaria sempre pela «integridade do território ucraniano» e esta sexta-feira, Merkel reafirmou esta posição, assegurando que o acordo de Minsk, estabelecido em setembro, teria de ser tido em conta.

O Presidente francês referiu, esta sexta-feira, que o objetivo é obter um cessar-fogo, mas que isto será apenas um primeiro passo para acabar com a crise e que, por si só, não é o suficiente para que a paz seja restabelecida.

«Toda a gente sabe que o primeiro passo é um cessar-fogo, mas isto não é o suficiente. Temos que conseguir um acordo construtivo.»


Os dois líderes viajaram esta quinta-feira até Kiev e, esta sexta-feira, é a vez de passarem por Moscovo para apresentarem uma proposta que pretende resolver o conflito.