A chanceler alemã, Angela Merkel, disse, este domingo, que quer “reduzir drasticamente” a entrada de refugiados na Alemanha, uma aproximação ao discurso de membros do seu partido (CDU), que têm criticado a sua política de “portas-abertas”.

“Ouvimos as preocupações das pessoas, que estão preocupadas com o futuro, e isso significa que queremos reduzir, drasticamente, o número de [refugiados] que chegam até nós”, disse a chanceler à ARD.


Estimativas indicam que o número de refugiados e migrantes que escolheram a Alemanha como destino final deve atingir um milhão em 2015, o que tem colocado pressão sobre a chanceler.

Como escreve a agência Reuters, ainda assim, a chanceler alemã garantiu que a palavra “limite” não faz parte da solução da CDU, que vai debater o tema num congresso do partido que decorre esta segunda e terça-feira na cidade de Karlsruhe.

A estratégia para diminuir a entrada de novos refugiados e migrantes na Alemanha passa por um trabalho conjunto com a Turquia para combater os traficantes, melhorar as condições dos campos de refugiados na Turquia, Líbano e Jordânia, e pelo reforço do controlo das fronteiras externas da União Europeia.