O procurador de Marselha revelou, esta quinta-feira, em conferência de imprensa, que Andreaz Lubitz, o copiloto que despenhou voluntariamente o avião da Germanwings, consultou 41 médicos em apenas cinco anos.

De acordo com Brice Robin, Lubitz viu sete médicos no mês antes do acidente de 24 de março, e teve três consultas com um psiquiatra. Alguns dos médicos sentiram que Lubitz era psicologicamente instável e outros consideraram que ele estava inapto para voar, mas “infelizmente essa informação não foi reportada por causa do sigilo profissional”.

Na Alemanha, a quebra do sigilo profissional por médicos pode levar à prisão, a não ser que haja provas de que o paciente pretende cometer um crime ou prejudicar-se. 

O procurador afirmou ainda que a investigação permitiu, até agora, “confirmar sem sombra de dúvida que o senhor Andreas Lubitz destruiu o avião deliberadamente e matou 150 pessoas, ele incluído, deliberadamente”.

Para os responsáveis pela investigação, o que importa agora é apurar as responsabilidades. O procurador atualizou a investigação para uma prova preliminar para uma investigação de homicídio culposo, o que entrega o caso aos juízes de instrução que podem acusar pessoas ou entidades.

Funerais das vítimas começam a ser realizados


Peter Kortas, o advogado que representa a família de 34 famílias, revelou à AP que as negociações sobre as indemnizações começaram há alguns dias e que as famílias continuam à procura de respostas sobre os atrasos na devolução dos corpos.

“Neste momento, tudo o resto não é tão importante quanto o facto de os corpos, os restos mortais, sejam devolvidos às famílias. Já passaram mais de dois meses e meio desde o acidente, por isso é necessário encerrar o processo”, afirmou Kortas.

Para o advogado, “a perda de familiares deve ser também compensado com um valor adequado”. 
"Há dois pontos nestas negociações: primeiro, a perda de material para os danos materiais, e também sobre os danos de dor e sofrimento”, acrescentou

Esta quarta-feira foram devolvidos 18 corpos de vítimas do acidente de 24 de março às famílias. O primeiro funeral das vítimas deve acontecer esta sexta-feira. Esta quinta-feira, Brice Robin encontrou-se com os familiares das vítimas para fazer uma atualização das investigações.