Uma fuga de uma substância tóxica de um circuito de refrigeração obrigou esta  os astronautas a abandonarem a seção norte-americana da Estação Espacial Internacional (EEI), anunciou a agência espacial russa.

«Uma substância tóxica foi emitida por um circuito de refrigeração para a atmosfera da estação na seção norte-americana da EEI cerca das 11:44 hora de Moscovo (08:44 em Lisboa)», indicou a agência Roskosmos num comunicado.

«A seção norte-americana foi evacuada e a tripulação está em segurança na seção russa», adiantou a agência.

Um representante do centro de controlo russo precisou às agências de notícias russas que a substância em questão é o amoníaco, um gás incolor que queima os olhos e os pulmões.

«A situação é complicada, mas está sob controlo. Já aconteceram antes fugas de amoníaco», explicou a mesma fonte.

A agência espacial norte-americana NASA disse não poder confirmar a fuga de amoníaco, corroborando que os seis astronautas da EEI estão a salvo na seção russa depois de um alarme ter disparado na zona norte-americana da estação espacial.

«Os controladores da EEI não têm certeza se o alarme foi ativado por um pico de pressão, um sensor com defeito ou um problema num computador», informou a NASA através da rede social de mensagens curtas Twitter.

O responsável da indústria espacial russa Maxime Matiouchine afirmou que os seus homólogos da NASA estão mobilizados para resolver o problema.

O incidente pode atrasar o regresso à terra da cápsula Dragon da empresa SpaceX que chegou com reabastecimento à estação espacial há alguns dias.

A EEI é uma das poucas áreas da cooperação russo-americana que não tem sofrido devido à deterioração das relações entre os dois países devido à crise na Ucrânia, que levou os ocidentais a aprovarem sanções económicas sem precedentes contra a Rússia.