«As execuções devem ser paradas imediatamente. A pena de morte é uma violação dos direitos humanos», disse Rupert Abbott, diretor de Investigação da Aministia Internacional para o sudeste Asiático e Pacífico, em comunicado.

Um dos presos é de nacionalidade indonésia e os restantes cinco são estrangeiros: um brasileiro, um holandês, dois nigerianos e um vietnamita.