Um jovem encontrado a vaguear num parque, no Reino Unido, e incapaz de se lembrar do próprio nome, foi identificado após um apelo feito pelos médicos na comunicação social. O paciente, que sofre de amnésia grave e a quem foi dado o nome de «Robert», durante o apelo, é ao que tudo indica Alvydas Kanaporis, de 22 anos, natural da Lituânia. A família do jovem entrou em contacto com o centro «Cambridge and Peterborough NHS Foundation Trust» para confirmar a identidade.

De acordo com a Sky News, ainda não se sabe há quanto tempo Alvydas Kanaporis está no Reino Unido e ele ainda não se consegue lembrar de todos os detalhes da própria vida.

A semana passada, a direção do hospital de Peterborough criou uma linha telefónica e divulgou uma fotografia de Kanaporis numa tentativa de resolver o mistério.

O jovem lituano foi encontrado a 18 de maio num parque perto da estação de autocarros de Peterborough e não tinha consigo uma carteira ou qualquer documento de identificação. Alvydas Kanaporis não sabia como tinha chegado ali e não tinha nenhuma memória de quem era.

A maioria dos doentes com amnésia recuperam a memória de forma rápida, mas dois meses depois, Alvydas Kanaporis não mostra sinais de melhoria.

As principais pistas sobre quem ele é foram o sotaque do Leste Europeu e a compreensão de lituano e de russo. O jovem também revelou habilidade desportiva no basquetebol, ténis e futebol.

«Às vezes estou com raiva, frustrado, deprimido, perdido e confuso», afirmou Kanaporis, em comunicado divulgado a semana passada. «Eu só preciso de descobrir o meu nome e espero que alguém lá fora me ajude e reconheça», acrescentou.

O psiquiatra Manaan Kar Ray afirmou que, «depois de uma tremenda resposta ao apelo para identificar "Robert", um paciente com amnésia grave, que tem estado ao nosso cuidado durante quase dois meses, fomos contactados pelos parentes». «Eles ajudaram-nos a estabelecer o nome dele», acrescentou.

«Nós, é claro, falámos com o paciente, e isso vai dar ao nosso trabalho com ele um novo foco. No entanto, como já foi referido anteriormente, este é apenas um primeiro passo no que poderá ser uma longa jornada para ajudá-lo a recuperar a memória autobiográfica», disso o mesmo psiquiatra.

«Gostaria de agradecer ao público e aos órgãos de comunicação social o interesse neste caso, mas Alvydas pediu que o deixem prosseguir a recuperação em privado».

Alvydas Kanaporis vai continuar o tratamento no Centro Cavell da unidade de saúde mental de Peterborough, no Reino Unido.