Os 11 países da Aliança Bolivariana para as Américas (ALBA) apelaram na terça-feira ao Presidente Barack Obama para anular o decreto no qual qualifica a Venezuela de «ameaça invulgar e extraordinária» contra a segurança dos Estados Unidos.

Reunidos em Caracas para uma cimeira especialmente convocada sobre esta questão, os países membros da ALBA exigiram, numa declaração final lida pelo Presidente venezuelano Nicolás Maduro, «o fim imediato do assédio e agressão» de Washington contra a Venezuela.

A Venezuela «não constitui uma ameaça para nenhum país, porque é uma nação solidária que demonstrou a sua vontade de cooperar com os povos e os governos da região», afirma a declaração final dos chefes de Estado ou de governo dos países da ALBA.