O nível de poluição nas cidades chinesas baixou no primeiro semestre de 2015, mas a qualidade do ar permanece muito aquém dos padrões globais e nacionais, segundo a avaliação difundida esta quarta-feira pela organização ambientalista Greenpeace.

A densidade média de partículas PM2.5 - as mais suscetíveis de se infiltrarem nos pulmões - diminuiu 16% em 189 cidades e aumentou em 18, refere a Greenpeace, citando os dados das agências especializadas do governo.

                 
                                                    Poluição na China [Reuters]

Em Pequim, entre janeiro e junho deste ano, a densidade das PM2.5 caiu 15,5% em relação a igual período de 2014, para 77,8 microgramas por metro cúbico - o triplo do limite fixado pela Organização Mundial de Saúde e acima dos 35 microgramas por metro cúbico estabelecidos pelos governos da China e outros países.