A segunda enfermeira norte-americana que contraiu ébola, quando cuidava de um paciente liberiano no Texas, recebeu alta do hospital universitário Emory, em Atlanta, esta terça-feira, após ter sido curada do vírus. De acordo com a equipa médica que a acompanhou, a jovem pode voltar a ter uma vida normal sem qualquer preocupação em transmitir o vírus, noticia a Reuters.

 

Amber Vinson, de 29 anos, que trabalhou como enfermeira no Texas Health Presbyterian Hospital, de Dallas, e foi infetada quando cuidava de Thomas Eric Duncan, deu entrada no hospital para tratamento no dia 15 de outubro. Vinson foi declarada livre do vírus na semana passada pela equipa especializada do hospital onde estava a ser tratada.

 

Outra enfermeira, Nina Pham, diagnosticada a 12 de outubro, dias antes de Amber Vinson, também foi contaminada quando tratava de Thomas Eric Duncan, um liberiano que foi aos Estados Unidos em visita e morreu vítima de ébola num hospital de Dallas, a 8 de outubro.

 

Nina Pham recebeu alta na sexta-feira, depois de ter sido internada no hospital de Dallas e, depois, transferida para uma instituição especializada em Maryland.

 

A epidemia de ébola já provocou quase cinco mil mortos na África Ocidental em 10 mil casos de contágio. Os sintomas da doença são febre, vómitos, diarreia e dores. O vírus é transmitido por meio do contacto direto com fluidos corporais de alguém que já apresente sintomas.