A secretária de Estado britânica da Administração Interna, Amber Rudd, disse hoje ser “muito cedo” para dizer se as autoridades conheciam o suspeito do ataque no metro de Londres, que foi “uma sorte” não ter sido mais grave.

A explosão de uma bomba no metro de Londres provocou na sexta-feira três dezenas de feridos, tendo sido detido, este sábado, um suspeito pela polícia de Kent, um jovem de 18 anos.

A secretária de Estado disse que a bomba artesanal era um dispositivo “sério”, que podia ter causado muito mais danos. Amber Rudd apelidou a prisão de um suspeito como "muito significativa" e referiu que a polícia está a fazer progressos rápidos na investigação.

Rudd acrescentou que o Centro de Análise ao Terrorismo irá avaliar se o nível de ameaça se manterá classificado como "crítico" nos próximos dias.

A secretária de Estado, que presidiu a uma reunião do gabinete de emergência para discutir a ameaça terrorista, disse que informou a primeira-ministra, Theresa May, da evolução da situação em relação ao ataque de sexta-feira.

A polícia britânica continua a fazer buscas num subúrbio de Londres, em Sunbury, no âmbito da investigação do ataque ao metro, e mandou mesmo evacuar algumas casas. Foram colocados cordões de segurança em torno do bairro, não muito longe do aeroporto de Heathrow, mas nenhuma detenção foi anunciada.

A Grã-Bretanha está em alerta máximo, tendo o comissário da polícia de Londres pedido às pessoas para que se mantenham atentas.